quinta-feira, junho 20, 2024
LegislativoPolítica Local

Caio André anuncia instauração da CPI da Semcom

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Caio André (UB), anunciou o início da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a entrega de uma sacola de dinheiro na Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) ao homem que se identifica como motorista de Elson Santos, dono do portal de notícias O Abutre.

Em seu discurso, Caio André fez a leitura do parecer da Procuradoria da CMM que concluiu pela possibilidade de abertura da CPI e, logo em seguida, o parlamentar anunciou uma reunião na segunda-feira (22) para dar início aos trabalhos. O pedido de abertura da CPI já tinha alcançado o número mínimo de assinaturas no início de abril.

“Informo aos senhores vereadores, que na segunda-feira iremos reunir o Colegiado de Líderes para instauração da referida CPI”, afirmou o presidente da CMM.

O presidente da Casa foi o último vereador a assinar o documento que pede a CPI. Ele afirma que é a favor da investigação.

“Acabei de assinar o requerimento da CPI […] eu só assinei no momento que ela tivesse as 13 assinaturas. Hoje ela já possui as 14 assinaturas, o requerimento deve seguir para a Procuradoria da Casa, estando tudo ok, vamos instaurar [a CPI]. Sou a favor de que haja essa investigação e um esclarecimento acima de tudo, que não está claro até hoje”, disse.

O requerimento é de autoria dos vereadores Rodrigo Guedes (PP), Capitão Carpê Andrade (PL) e William Alemão (Cidadania).

Sobre o caso

Após a repercussão do vídeo do motorista recebendo o dinheiro na Semcom, o então secretário de comunicação, Israel Conte, foi até a CMM com a justificativa de prestar esclarecimentos aos vereadores. Israel apresentou um laudo feito por uma empresa de perícias, que tem em seu CNPJ a atividade principal de “cobrança e informações cadastrais”. O perito que analisou o vídeo e apontou que se tratava de uma “manipulação audiovisual”, foi vencedor de uma premiação no valor de R$ 1,2 milhão em um edital de incentivo à cultura da própria prefeitura, para financiar uma de suas produções audiovisuais. O Ministério Público até chegou a abrir uma investigação para apurar irregularidades desses editais.

Israel até hoje ainda não revelou quanto e quem pagou realmente para produzir o laudo pericial – e nem esclareceu como ele foi feito em tão pouco tempo após a divulgação do vídeo. No laudo, aparecia apenas o escritório “Borghi, Kalil e Kotsifas” como contratante, que defende os interesses do prefeito David Almeida na justiça eleitoral. Além disso, um de seus fundadores, Alexis Kotsifas, tem o cargo comissionado de representante da Prefeitura de Manaus em Brasília, recebendo o salário de R$ 14 mil por mês. O Radar já tinha mostrado como essas informações comprometiam a isenção e a credibilidade da perícia.

Israel Conte não é mais secretário de Comunicação. No último dia 6 de abril, foi anunciada a saída do jornalista. No lugar dele, assumiu Jack Serafim.

Veja quem assinou o documento: Marcelo Serafim (PSB), Glória Carrate (PSB), Raiff Matos (PL), William Alemão (Cidadania), Elissandro Bessa (PSB), Jaildo dos Rodoviários (PV), Capitão Carpê Andrade (PL), Rodrigo Guedes (PP), Lissandro Breval (PP), Thaysa Lippy (PRD), Diego Afonso, Everton Assis e Professora Jacqueline e Caio André, todos do União Brasil.

Os vereadores Gilmar Nascimento (Sem Partido), Elan Alencar (DC) e Eduardo Alfaia (PMN) – líder do prefeito David Almeida na CMM – se manifestaram contra a instauração da CPI.

Fonte: Radar Amazônico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *