domingo, junho 23, 2024
LegislativoPolítica Local

Roberto Cidade chama atenção para velocidade de subida do rio Negro e pede que ações de prevenção à cheia sejam antecipadas

O primeiro alerta de cheias da Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH) será feito apenas no mês de março. No entanto, o comportamento do rio Negro, que vem subindo rapidamente quando comparado com a mesma data nos dois últimos anos, acendeu o sinal de alerta. O tema foi abordado pelo deputado estadual Roberto Cidade (UB), presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), durante sessão plenária da manhã desta quinta-feira, 9.

Em 2021, o rio Negro subiu, conforme a régua do Porto de Manaus, do dia 8 para o dia 9 de fevereiro, quatro centímetros e, neste ano, na mesma data, o rio subiu nove centímetros.

“O rio Negro começou a subir de forma mais agressiva em alguns dias e, embora ainda não haja motivos para alarme, é importante que mantenhamos a vigilância e adotemos medidas de prevenção, antecipadamente, para que a população não venha a ser prejudicada. Aqui em Manaus, de acordo com a régua do porto, ainda estamos abaixo dos níveis do ano passado e de 2021, quando houve a cheia histórica, porém precisamos nos antecipar. A SNPH e os órgãos de controle, com certeza, estão vigilantes e nós, aqui na Assembleia Legislativa, também”, afirmou.

Em 2021, ano em que o rio Negro atingiu 30,02 cm, a média diária de subida das águas em janeiro foi de 5 a 6 centímetros. Neste ano, nos nove primeiros dias de fevereiro, só nos dias 8 e 9 o rio Negro subiu menos de 10 cm. Nos outros 7 dias, foram subidas 10, 11 e até 12cm. No período, o rio subiu 87 cm contra 38 cm em 2021.

“Se continuarmos nessa velocidade, poderemos ter uma cheia próxima da que tivemos em 2021 e, por isso trazemos o tema à tona. Precisamos nos antecipar aos problemas que podem acontecer, especialmente com as pessoas que vivem às margens do rio e dos igarapés de Manaus”, reforçou.

Outros rios

O parlamentar também chamou atenção para média dos demais rios que cortam o estado do Amazonas. De acordo com o boletim do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), no dia 3/2, na estação de Barcelos, o rio Negro havia subido 21 centímetros em uma semana. Na bacia do rio Solimões, na estação de Fonte Boa, o rio subiu em média 14 cm diariamente. Na estação de Manacapuru, o rio Solimões registrou elevação média diária de 13 centímetros e no Purus, em Beruri, foi registrada elevação de 82 cm, no período de uma semana.

“Historicamente sabemos que o período da cota máxima do rio Negro ocorre no mês de junho, porém sabemos também que todas as precauções precisam ser adotadas desde agora. Por esse motivo, estamos dando entrada em um requerimento solicitando que a Defesa Civil do Estado e a do município de Manaus apresentem a esta Casa seus protocolos de ações e seus planos de atuação para minimizar os impactos das cheias para a população”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *