sábado, junho 22, 2024
Notícias

Indígenas do Amazonas que receberam internet da Starlink estão viciados em pornografia

Indígenas do povo marubo, no Vale do Javari, oeste do Amazonas, usufruem dos benefícios da internet via satélite da Starlink, empresa de Elon Musk, há pelo menos nove meses. No entanto, os pontos “negativos” de se estar conectado todo o tempo também já foram sentidos como, o vício em pornografia. É o que revela uma reportagem do jornal The New York Times.

O jornal norte-americano enviou os correspondentes Jack Nicolas e Victor Moriyama à Floresta Amazônica para pesquisa. A dupla levantou que o novo comportamento foi percebido sobretudo entre os mais jovens e adolescentes. Os repórteres chegaram a fazer uma comparação com a sociedade dos Estados Unidos.

A reportagem cita outras questões, além da pornografia:

“Depois de apenas nove meses no Starlink, os marubo já enfrentam os mesmos desafios que atormentam os lares americanos há anos: adolescentes colados aos telefones; bate-papos em grupo cheios de fofocas; redes sociais viciantes; estranhos online; videogames violentos; fraudes; desinformação; e menores assistindo pornografia”, diz trecho do texto.

Uma indígena entrevistada pelo jornal reclamou da crescente preguiça dos jovens, que estariam “aprendendo os costumes dos brancos”.
“Quando a internet chegou, todos ficaram felizes, mas agora as coisas pioraram. Os jovens ficaram preguiçosos. Estão aprendendo os costumes dos brancos”, relatou TamaSay Marubo, uma das lideranças do grupo.

Ela também se queixa do fato de atividades culturais como pintura corporal, coleta de frutas e confecção de acessórios feitos com conchas não atraírem mais os jovens. Tudo agora parece ser menos atrativo que navegar pelas redes sociais, segundo ela.

As redes mais usadas pelos indígenas são o Instagram e o Kwai, além do app de mensagens WhatsApp.
Alfredo Marubo, outro líder de uma associação de aldeias marubo, também foi ouvido pela reportagem, se mostrando bastante crítico.
“Todos estão tão conectados que às vezes nem falam com a própria família”, disse ele.
Alfredo também compartilha que os jovens rapazes consomem e compartilham materiais adultos entre si pelo celular, algo antes inexistente na tribo, que não admite nem mesmo beijo em público.

A empresa de Musk foi criada para fornecer internet de alta potência, mesmo nas regiões mais remotas, e já registra mais de 150 mil clientes.

De acordo com a Anatel, os acessos à banda larga via satélite fornecida pela Starlink aumentaram significativamente de 57,6 mil em maio de 2023 para 149,6 mil em fevereiro deste ano. O aumento foi mais expressivo nas regiões da Amazônia e do Centro-Oeste.

Fonte: Pleno News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *