quarta-feira, julho 24, 2024
NotíciasPolítica Local

Multiplicando a rejeição

A rejeição do prefeito de Manaus e pré-candidato à reeleição, David Almeida (Avante), dobrou de 2023 para 2024, segundo as pesquisas eleitorais publicadas no período. Levantamento feito pelo BLOG DO BOTELHO em 29 estudos publicados de abril de do ano passado a junho deste ano, mostra que a média de eleitores que afirmam não votar no atual mandatário saltou de 11,74% para 25%.

Ao todo, foram 15 institutos de pesquisas que aferiram o sentimento dos eleitores manauaras. A menor rejeição constatada foi de 5,39% no estudo da Projeta em abril do ano passado, e a maior foi de 43,9% no levantamento feito pelo Direto ao Ponto em maio deste ano.

Em que pese o detentor do mandato normalmente tenha um desgaste natural, os números chamam atenção, sobretudo quando analisado minuciosamente os cenários apresentados. Em 2023, por exemplo, a rejeição de David foi atenuada pela inserção do nome do ex-prefeito Arthur Virgílio Neto – que nunca sequer manifestou desejo de participar do pleito – e neste ano com a entrada de Marcelo Ramos (PT) na disputa.

Segundo especialistas ouvidos pela reportagem, a rejeição acima de 40% – verificada em duas pesquisas publicadas em maio – torna qualquer eleição difícil, uma vez que significa que quase a metade dos eleitores não vota nesse candidato em nenhuma hipótese.

Prometeu e não cumpriu

Na avaliação do cientista político Carlos Santiago, David Almeida tem uma rejeição natural por estar no poder, mas a antipatia do eleitorado cresceu pelo fato de ter prometido durante a campanha romper com as práticas da “velha política” e não realizar após assumir o comando da cidade.

“Ele venceu a eleição de 2020 prometendo ser diferente, agir diferente dos caciques políticos do Amazonas e promover uma gestão transparente. Mas isso não aconteceu. O David tem hoje como principais aliados dois grandes caciques da política do Amazonas (os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga) e tem privilegiado na administração pessoas da sua família. Ele elegeu o irmão e tem a irmã na estrutura da administração, que era algo combatido na campanha”, destacou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *