quarta-feira, junho 12, 2024
Política Local

Uma cruzada contra a má política

Única mulher na disputa eleitoral pela Prefeitura de Manaus, a professora e reitora da Fametro, Maria do Carmo Seffair, que é pré-candidata pelo Partido Novo, tem despontado como uma voz destoante no cenário local. Além da representatividade feminina, ela tem usado sua projeção para promover educação política, despertando o pensamento crítico no eleitor da capital.

“Eu considero que estou numa cruzada para mostrar que todos somos agentes políticos. Posso até não ser daqueles que falam bonito e fazem promessas, mas falo verdades com coragem e honestidade. Realmente penso que posso mudar a forma de fazer política em Manaus, ocupando esse espaço com pessoas boas e qualificadas”, disse Maria do Carmo em reunião com moradores do condomínio edifício Maxímino Corrêa, um dos mais tradicionais do Centro Histórico de Manaus nesta semana.

Suas colocações têm chamado atenção por ir na contramão do que acontece hoje em Manaus, no Amazonas e no Brasil como um todo, que é a falta de conscientização e renovação política. Nas últimas décadas, a sociedade tem se tornado, cada vez mais, clientela eleitoral, principalmente pela falta de compromisso e políticas públicas sérias voltadas para a educação e cidadania.

“Temos que devolver a política para quem de fato ela pertence: ao povo. A população precisa usufruir daquilo que entrega ao poder público, pagando seus impostos. Infelizmente, o que vemos é corrupção desenfreada enquanto as pessoas padecem de todo tipo de auxílio”, criticou professora Maria do Carmo.

Trajetória

Com mais de 40 anos de atuação à frente da Fametro, hoje a maior instituição de ensino superior do Norte do país, e mais recentemente também comandando o resgate histórico da Santa Casa de Misericórdia e do Hotel Tropical, Maria do Carmo entra para a política de forma independente.

“Entrei para a política porque não me conformo em ver a forma como nosso povo tem sido tratado, como Manaus tem regredido. Quero mostrar que pode ser diferente e não tem ninguém segura no meu pulso, porque não tenho rabo preso. Tudo que construímos na iniciativa privada foi a custo de muito trabalho. Quem sabe não consigo inspirar outras pessoas?”, finalizou a pré-candidata que promete trazer um novo olhar para as próximas eleições e certamente ainda dará muito o que falar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *