quinta-feira, junho 20, 2024
Política Nacional

Áudios de Mauro Cid expõem PF e Moraes: ‘narrativa pronta’

Áudios divulgados pela revista Veja nesta quinta-feira (21) trazem acusações graves feitas por tenente-coronel Mauro Cid contra a Polícia Federal e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes. O ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirma que foi induzido a corroborar declarações de testemunhas e que um dos delegados o constrangeu a reproduzir informações específicas sob ameaça de perder os benefícios do acordo de delação premiada.

“Eles (os policiais) queriam que eu falasse coisa que eu não sei, que não aconteceu. Você pode falar o que quiser. Eles não aceitavam e discutiam. E discutiam que a minha versão não era a verdadeira, que não podia ter sido assim, que eu estava mentindo”, afirma Cid.

O militar também teria reclamado a pessoas próximas que suas declarações foram distorcidas, com informações tiradas de contexto e outras convenientemente omitidas pela PF. Ele afirmou que os delegados só incluíram na delação relatos que se encaixavam com a “narrativa” da PF.

“Eu vou dizer o que eu senti: já estão com a narrativa pronta deles, é só fechar”, desabafa o tenente-coronel.

Na conversa, Mauro Cid também diz que Alexandre de Moraes já tem a sentença pronta e que tem o desejo de prender “todo mundo”.

“Alexandre de Moraes já tem a sentença dele pronta, acho que essa é a grande verdade. Ele já tem a sentença dele pronta. Só está esperando passar um tempo. O momento que ele achar conveniente, denuncia todo mundo, o PGR acata, aceita e ele prende todo mundo.

E continua: “O Alexandre de Moraes é a lei. Ele prende, ele solta, quando ele quiser, como ele quiser. Com Ministério Público, sem Ministério Público, com acusação, sem acusação”.

Em outros áudios, o ex-ajudante de ordens mostra que está insatisfeito por ser o mais prejudicado. Cita as doações de Pix para Jair Bolsonaro e afirma que o ex-presidente ficou “milionário”, enquanto ele sofreu muitas perdas.

Cid também se mostra preocupado com quantos anos de prisão os aliados de Bolsonaro serão condenados, já que os acusados do 8 de janeiro foram condenados a 17 anos.

Ouça o áudio:

Fonte: Pleno News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *