domingo, junho 16, 2024
Política LocalSem mimimi

Ato na Paulista reafirma união da direita amazonense

O ato patriótico em defesa do Estado Democrático de Direito realizado nesse domingo (25) na Avenida Paulista, em São Paulo, serviu para pelo menos três coisas: Jair Bolsonaro reafirmar sua liderança política; o povo romper com o medo de voltar às ruas; e unir ainda mais a direita.
E com os integrantes deste espectro político no Amazonas não foi diferente.
O que se viu nos dias que antecederam o evento e na própria manifestação, foi uma sinergia entre o deputado federal e pré-candidato a prefeito de Manaus, Capitão Alberto Neto, e Coronel Menezes, cotado para ser vice na chapa puro sangue do Partido Liberal.

Passado
As discordâncias entre eles nitidamente ficaram no passado e a boa convivência da dupla foi perceptível.

Deputados
Os deputados estaduais Débora Menezes (PL) e Delegado Péricles (PL), que também estiveram na capital paulista para o ato pró-Bolsonaro, estavam na mesma sintonia.

União
Ao que parece, a tão esperada união da direita local, que passou longe de ser realidade no pleito municipal de 2020, está consolidada e os direitistas apostam na figura de Bolsonaro para obter êxito nas eleições.

Alinhamento
Em entrevista ao BLOG DO BOTELHO durante a manifestação na Paulista, Capitão Alberto Neto reafirmou sua pré-candidatura e disse que o ex-presidente é um entusiasta da união da direita local.

No aguardo
O lançamento oficial da chapa do PL só não aconteceu ainda porque segundo informações de bastidores, o presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, deu até o final de fevereiro para que o atual prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), decida se filiará ou não ao partido.

Acordo pretérito
Costa Neto teria dado sua palavra ao atual mandatário do município em uma reunião no final do ano passado em Brasília e, mesmo ciente de que há uma pacificação no PL local, decidiu esperar o prazo concedido para só então referendar a união da direita manauara.

Motociata
Uma vez confirmado que o PL estará livre, a expectativa, segundo Alberto Neto, é que Jair Bolsonaro venha à Manaus no lançamento da pré-candidatura de seus aliados e realize a tradicional motociata pelas ruas da capital.

Multidão
Falando em Bolsonaro, o ex-presidente demonstrou que ainda é o principal líder político do País ao reunir nesse domingo uma multidão vestida de verde e amarelo na avenida Paulista.

Mais de milhão
Segundo estimativas da Polícia Militar de São Paulo, cerca de 750 mil pessoas estiveram presentes na manifestação. No entanto, quem esteve no local acredita que facilmente passou de um milhão, já que as ruas paralelas à Paulista também estavam cheias.

Amazonas presente
Além dos políticos próximos de Bolsonaro, vários integrantes de movimentos de direita e cidadãos comuns do Amazonas, como empresários prestigiaram o ato.

Direitista
O ex-prefeito e ex-senador, Arthur Virgílio Neto (sem partido), que agora se apresenta como direitista, foi um dos que participou da manifestação. Ele chegou a subir no trio principal e tirou fotos com expoentes da direita, como o deputado federal Marcel Van Hatem (Novo-RS) e o ex-deputado Deltan Dallagnol (Novo-PR).

Autodefesa
Em seu discurso, Bolsonaro se defendeu das acusações que orquestrou um golpe de estado no País, evitou o embate direto com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e claramente escolheu bem as palavras que disse.

‘Tenha santa paciência’
O ex-presidente se mostrou irritado com a acusação de que é “golpista” e afirmou que não há golpe de estado sem o uso de armas.
“Sempre ouvi dizer ‘Bolsonaro queria dar um golpe’ desde que assumi. O que é um golpe? É ter tanques nas ruas, usar armas, conspirar, atrair classes empresariais para o seu lado. Nada disso foi feito no Brasil. Nada disso eu fiz, e ainda assim continuam me acusando de golpe. Um golpe usando a Constituição? Tenha santa paciência”, disse.

Resiliência
A manifestação desse domingo pode ser vista como um recado de resiliência da direita, que mesmo sob o encalço das muitas medidas de cerceamento de liberdades que sofreu nos últimos anos, está disposta a continuar se manifestando nas ruas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *