quinta-feira, julho 18, 2024
Sem mimimi

David gasta mais de R$ 45 mil de impulsionamento nas redes sociais em um mês

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), gastou R$ 46.455 em um mês de impulsionamento no Meta (Facebook e Instagram).

A informação, que é pública, consta na “Biblioteca de Anúncios” da própria rede social.

De acordo com a big tech, o valor foi gasto entre 24 maio e 22 de junho.

Não bate

Chama atenção o fato de o crédito ter sido adquirido no CPF do prefeito, e o valor gasto ser maior do que o salário de prefeito, que é de R$ 27 mil.

Boleto?

A empresa não informa, no entanto, se o valor foi pago via boleto ou em cartão de crédito.

Força-tarefa

Cotado para ser vice do atual prefeito, o ex-secretário de Infraestrutura (Seminf), Renato Júnior, também está investindo pesado nas redes sociais.

No mesmo período ele gastou R$ 36.072 com impulsionamento.

Estratégia

Renato, inclusive, tem usado as suas redes sociais para ajudar a impulsionar o nome de David, já que, algumas dessas postagens impulsionadas são do prefeito e não dele.

Sem resposta

A SEM MIMIMI entrou em contato com a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) e pediu explicações sobre o pagamento dos impulsionamentos. No entanto, o e-mail enviado não foi respondido até o fechamento desta edição.

De saída?

Segundo o jornalista Álvaro Corado, o PSD, do senador Omar Aziz, e o MDB, do senador Eduardo Braga, podem estar de saída da chapa de reeleição de David Almeida.

Com PT

Segundo o comunicador, as duas siglas podem ir para o arco de aliança de Marcelo Ramos (PT) por influência do presidente Lula (PT).

Projeção

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) divulgou, nessa segunda-feira (24), que o Festival Folclórico de Parintins deve gerar nesta semana 2,4 mil empregos diretos e outros 24 mil indiretos, com uma perspectiva de movimentação econômica de R$ 160 milhões.

Resposta

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), instalou nessa terça-feira (25) uma comissão especial para analisar a PEC das drogas. A determinação foi assinada no dia 17, mas só foi divulgada pela Câmara após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir pela descriminalização do porte de maconha para uso pessoal.

Racionalidade

Ao votar com a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para decidir que não é crime o porte de maconha para uso pessoal, Luiz Fux criticou envolvimento da Corte em assuntos que deveriam ser resolvidos na esfera política, ou seja, no Congresso Nacional.

Críticas

O magistrado ainda destacou que não se pode ignorar as críticas ao Judiciário por avançar sobre atribuições de outros Poderes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *