sábado, junho 22, 2024
Política LocalSem mimimi

Destino do PL nas eleições municipais próximo de ser definido

Em Brasília para participar de um encontro com presidentes estaduais do Partido Liberal nesta semana, Alfredo Nascimento se reunirá com o mandachuva da sigla, Valdemar Costa Neto, no intuito de definir o destino da legenda nas eleições municipais em Manaus.
Segundo uma fonte da Coluna SEM MIMIMI, o prefeito David Almeida (Avante) também estará na capital federal e se encontrará com os dirigentes partidários.
O objetivo é, enfim, bater o martelo sobre o apoio ou não do PL à reeleição do atual mandatário do município.

Palavra dada
Como a SEM MIMIMI antecipou, Valdemar teria garantido a David o apoio do PL ao seu projeto eleitoral. No entanto, deu até o final deste mês para que o acordo fosse oficialmente selado.

Atrito
E é aí que mora o problema.
Por mais que tenha conhecimento da grandiosa estrutura que o PL pode lhe proporcionar, David foi informado pelos senadores lulistas Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (MDB) que uma aliança com a sigla do ex-presidente Jair Bolsonaro culminará em atrito com o Governo Federal.

Dinheiro em jogo
E o prefeito tem consciência que esse atrito significa perder acesso a recursos federais que hoje a Prefeitura tem conseguido dispor, sobretudo por articulação dos dois parlamentares ligados à atual gestão.

Estratégia possível
Diante dessa sinuca de bico e tendo a palavra de Valdemar Costa Neto, uma estratégia que possivelmente David pode estar tentando colocar em prática é não se aliançar com o PL, mas inviabilizar uma candidatura da sigla.

Preço alto
Porém, essa jogada tem é um preço alto, uma vez que a legenda tem o projeto de eleger pelo menos mil prefeitos pelo Brasil e Costa Neto sabe que Manaus é uma das capitais mais direitistas do País.

No aguardo
Enquanto aguardam o desfecho desse imbróglio, Capitão Alberto Neto e Coronel Menezes – os dois principais nomes do PL no Amazonas – seguem se “afinando” e reafirmando o discurso de unidade.

Projeto pronto
Em entrevista ao programa “Boa Noite, Amazônia”, da Rede Onda Digital nessa terça-feira (27), a deputada estadual Débora Menezes (PL) – filha de Coronel Menezes – afirmou que o projeto do pai dela com Alberto Neto está pronto e não tem chance de ser desfeito.

Aval de Bolsonaro
A chapa puro sangue com o deputado federal de cabeça e Menezes vice, inclusive, tem o aval de Bolsonaro, que segundo informações vindas da capital federal, está entusiasmado com a pacificação da direita manauara.

Escolas cívico-militares
Falando em Débora Menezes, por articulação da parlamentar, o governador Wilson Lima (União Brasil), assinou, nessa terça-feira (28), um decreto que institui o Programa das Escolas Cívicos-Militares (PECIM) no Estado.

Permanente
A partir de agora o PECIM passa a ser uma política educacional permanente no Amazonas. Atualmente são sete escolas nesta modalidade, seis em Manaus e uma em Tabatinga.

Treta
A sessão plenária dessa terça-feira (27) na Câmara Municipal de Manaus (CMM) foi marcada por uma treta entre vereadores da base e oposição à Prefeitura.

Clima quente
Tudo começou quando Professora Jacqueline (União Brasil) afirmou que desde quando deixou de ser da base de David Almeida, pessoas próximas a ela estão sendo perseguidas na Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Aparelhamento
Foi então que um dos líderes do prefeito na Casa, o vereador Raulzinho (PSDB), acusou a colega de aparelhar as escolas com diretores indicados por ela.

Bate-boca
A acusação não foi bem aceita e iniciou-se um bate-boca que logo foi estendido aos demais vereadores presentes em plenário.

Violência política
Em postagem nas redes sociais, Professora Jacqueline classificou a postura dos aliados de David Almeida como “violência política” e, obviamente, recebeu apoio das outras mulheres da casa: as vereadoras Thaysa Lippy (PP), Glória Carrate (PL) e Yomara Lins (PRTB).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *