quarta-feira, junho 12, 2024
Sem mimimi

Fenômenos de votos para deputado federal em 2018, Zé Ricardo e Delegado Pablo disputarão vaga na CMM

Na política, o tempo pode ser concomitantemente aliado e vilão. Ao passo que tende a produzir maturidade e consolidação de imagem, pode, de igual modo, relegar ao esquecimento.
Prova disso é que Zé Ricardo (PT) e Delegado Pablo (PL) – primeiro e segundo mais votados para deputado federal em 2018 – perderam o cargo no pleito de 2020 e serão candidatos a vereador nas eleições deste ano.
Ou seja, tentarão retornar à vida pública na base da pirâmide, que é a vereança.

Esquerda x direita
E assim como há seis anos, vão para disputa com o discurso ideológico de esquerda e direita. Zé segue no PT e Pablo se filiou recentemente ao PL, partido de Jair Bolsonaro.

Lembrança
À época, mesmo com a força do antipetismo, Zé Ricardo foi o mais votado com 197.270 votos e Delegado Pablo, um até então ilustre desconhecido, teve 151.649 votos única e exclusivamente por ser o candidato de Bolsonaro.

Nomes de peso
A dupla se junta a um grupo de ex-políticos que tentará uma das 41 cadeiras do parlamento municipal. Entre eles estão o ex-vereador Chico Preto (PL) e os ex-deputados estaduais Dermilson Chagas (PSB), Luiz Castro (PDT), Therezinha Ruiz (União Brasil) e Álvaro Campêlo (PP).

Acirramento
Por isso, a briga pelo cargo de vereador tende a ser uma das mais acirrada da história da política local.

Militância
Além da importância da atuação na CMM, a disputa tem chamado a atenção porque objetivamente formará a militância que fará palanque aos candidatos no pleito geral de 2026.
Nova derrota
Falando em Câmara Municipal, o parlamento deve impor mais uma derrota ao prefeito David Almeida (Avante), uma vez que, muito provavelmente o pedido de empréstimo de R$ 580 milhões junto ao Banco do Brasil deve ser rejeitado pelos vereadores.

Contagem
Após Raiff Matos (PL) confirmar que votará “não”, se nenhum parlamentar faltar à sessão, a tendência é que a votação fique com 20 votos favoráveis ao empréstimo e 20 contrários.

Voto decisivo
Desta forma, o presidente da CMM, Caio André (União Brasil) terá que desempatar e certamente votará contra.

Standby
Por enquanto, a votação, que estava pautada para acontecer nessa segunda-feira (15), está suspensa por determinação do desembargador plantonista do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Lafayette Carneiro Vieira.

Pedido
A decisão acatou, parcialmente, o pedido do vereador William Alemão (Cidadania). O parlamentar argumentou que a Mesa Diretora da CMM cometeu três vícios no processo legislativo que violam os dispositivos da Lei Orgânica Municipal (Loman) e do Regimento Interno da Câmara Municipal de Manaus.

Os vícios
São eles: ausência de exame das Comissões de Constituição, Justiça e Redação e de Finanças, Economia e Orçamento (§ 2.º, do art. 231 do Regimento Interno da CMM); ausência de audiência Pública (§ 4.º, do Art. 155 do Regimento Interno da CMM); e a necessidade de garantir o quórum qualificado.

Aleluia
Neste fim de semana, veículos de imprensa tradicionais publicaram editoriais críticos ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), apontando censura prévia imposta a contas nas redes sociais e o atropelamento de competências do Ministério Público.

Grande mídia
Os jornais que se pronunciaram em meio ao debate – inflamado pelo empresário Elon Musk – foram a Folha de S.Paulo e O Estado de São Paulo.

Defesa parcial
O jornal O Globo também se manifestou sobre o tema, defendendo, contudo, a aprovação do PL das Fake News para coibir decisões controversas da Corte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *