quarta-feira, junho 12, 2024
Política LocalSem mimimi

Manauara ainda não está pensando em eleição, mostram números da Paraná Pesquisas

Levantamento feito pela Paraná Pesquisa divulgado nessa quarta-feira (10), mostra que a pouco menos de um ano e meio para o pleito municipal, o eleitor manauara ainda não está pensando em eleição.
O estudo feito entre os dias 4 e 8 de maio aponta que 68,9% dos eleitores da capital não sabem em quem vão votar para Prefeitura de Manaus ano que vem. Outros 11,5% afirmam que vão votar nulo ou branco.
A pesquisa ouviu 710 eleitores de todas as zonas da capital amazonense.

Normalidade
O número está dentro da normalidade, já que a grande massa de eleitores não é tão atenta às questões políticas fora do período eleitoral.

Cenário aberto
O estudo também comprova que o cenário eleitoral está aberto, inclusive com a possibilidade do surgimento de novos nomes e crescimentos e quedas dos que já estão postos.

Números
No estudo espontâneo, além dos que não sabem e pretendem votar nulo, há 14,2% que afirmou que votará na reeleição do prefeito David Almeida (Avante) e 2,4% em Amom Mandel (Cidadania). Coronel Menezes (PL) – que teve mais de 500 mil votos para o Senado no ano passado em Manaus – fecha o “top 3” com 1%.

Estranho
Chama bastante atenção a baixa porcentagem de Amom, que em outras pesquisas figura bem e chegou, em uma deles, a aparecer na frente de David.

Estimulada
Na pesquisa estimulada – onde os nomes dos candidatos são apresentados ao eleitor – David aparece na liderança com 32% das intenções de votos, seguido de Amom Mandel com 21,3% e Coronel Menezes somando 14,2%.
O ex-deputado estadual Ricardo Nicolau (Solidariedade) figura com 7,5%, seguido de José Ricardo (PT) com 6,1% e Carol Braz – que está de saída do PDT para o MDB – que tem 3,4%. Fecha a lista o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Roberto Cidade (União Brasil) que soma 3%.

Alberto Neto
A pesquisa testou um cenário onde o deputado federal Capitão Alberto Neto (PL) disputa com os demais na vaga de Coronel Menezes. Desta forma, ele aparece com 9,3%, sendo 4,9% a menos que o militar do Exército.

Bem na foto
A pesquisa também avaliou, entre outras coisas, a gestão do Governo do Amazonas e 53,5% dos entrevistados avaliaram positivamente a atuação de Wilson Lima (União Brasil).

Desaprovado
Já o presidente Lula (PT) não está tão bem quanto Wilson e quase metade dos manauaras (49,6%) desaprovam a gestão petista.

Inquérito
O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instaurou Inquérito Civil para apurar denúncia referente às condições de trabalho na Secretaria Municipal de Saúde de Parintins.
O município é comandado por Bi Garcia.

Pisa salarial
De acordo com o órgão, a Prefeitura não está cumprindo o piso salarial dos cirurgiões-dentistas do município o que, segundo o MP-AM, resulta na precariedade do atendimento prestado à população.

Telegram
Às 15h02 dessa quarta-feira (10), o Telegram cumpriu a determinação imposta pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e compartilhou uma nova mensagem sobre o Projeto de Lei 2.630/2023, o PL das Fake News.

Cutucada
A mensagem, no entanto, enfatizou que estava cumprindo uma ordem judicial e avisou que o STF obrigou a excluir o material anterior, no qual a big tech criticava a proposta em tramitação na Câmara dos Deputados.
Na ocasião, o aplicativo alegou que o PL poderia “matar a internet moderna” no País.

Censura!
Sobre esse assunto, o investidor e influencer Leandro Ruschel foi cirúrgico: “Se um ministro tem o poder de mandar uma empresa tirar uma OPINIÃO do ar, e postar a OPINIÃO dele no lugar, significa que qualquer debate sobre projeto de CENSURA da Internet não faz mais sentido, pois na prática ela já está em vigência”.

Indulto derrubado
Por falar em STF, por 8 a 2 os ministros julgaram inconstitucional o decreto de indulto concedido em 2022 pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ao ex-deputado federal Daniel Silveira.

Desvio de finalidade
O Supremo entendeu que o decreto é inconstitucional por desvio de finalidade cometido pelo ex-presidente ao dar perdão a um aliado político.

Mão aberta
Sem apoio no Congresso Nacional, o governo Lula está liberando geral e empenhou mais de R$ 700 milhões em emendas parlamentares em um único dia.
O montante é quase o dobro do valor distribuído em quatro meses pelo Planalto.

Partidos agraciados
Segundo matéria publicada pelo jornal O Globo, do total de recursos, maior fatia foi destinada ao PSD (R$ 143 milhões), seguido por PT (R$ 136 milhões), MDB (R$ 91 milhões) e União Brasil (R$ 75 milhões).

Orçamento secreto
Duramente criticado pelo presidente Lula durante a campanha, o orçamento secreto será utilizado para tentar apaziguar a relação com o Congresso.
Para isso serão liberados nada mais nada menos do que R$ 9 bilhões.

Inconstitucional
O mecanismo foi declarado inconstitucional pelo STF pela falta de transparência. Apesar disso, o Palácio do Planalto não colocou em prática nenhum procedimento que dê transparência à negociação.
As verbas serão liberadas pelos ministérios das Cidades e da Integração Nacional e Desenvolvimento Regional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *