quarta-feira, junho 12, 2024
Política NacionalSem mimimi

Nova estratégia para paralisar a direita é segurar recursos do PL

Com a popularidade de Lula (PT) em queda e a avaliação positiva do Governo Federal ladeira abaixo mês a mês, é natural que a direita – sobretudo a ligada ao ex-presidente Jair Bolsonaro – volte com força ao imaginário do eleitor.
Ciente desta realidade, o conluio entre o atual Poder Executivo e o Supremo Tribunal Federal (STF) já tem a estratégia pronta para estancar o iminente sucesso eleitoral dos conservadores no pleito deste ano: segurar recursos públicos do Partido Liberal (PL).

Narrativa
A narrativa para justificar esse ato antidemocrático é, comicamente, a defesa da democracia, uma vez, que o bloqueio, se confirmado, será por suposto envolvimento do partido nos atos de 8 de janeiro.

MPU
Um aperitivo foi dado na semana passada pelo Ministério Público da União (MCU), que solicitou do Tribunal de Contas da União (TCU) a suspensão de R$ 27 milhões de Fundo Partidário da conta da sigla.

Justificativa
O motivo, claro, a suspeita de uso de recursos públicos para financiar atos do 8 de janeiro, quando a sede dos Três Poderes foi depredada.

Força da toga
Por mais que hajam instrumentos para garantir a destinação de recursos ao PL, como a anistia por parte do Congresso Nacional, a última eleição provou a força de imposição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Democracia?
Ou seja, tudo é possível em nome da defesa da democracia, até mesmo atrapalhar as candidaturas de opositores do atual governo.

Projeto
Vale lembrar que o PL tem um projeto ambicioso de eleger pelo menos mil prefeitos pelo Brasil e, claro, que conta com os recursos do Fundão para isso.

Grana alta
Em 2024, serão nada mais nada menos do que R$ 4,9 bilhões para os partidos gastarem nas eleições e o PL, por ser a maior sigla do País, terá a maior fatia do bolo.

Em Manaus
Falando em PL e direita, Jair Bolsonaro confirmou que estará em Manaus nos próximos dias 10 e 11 de maio.

Reforço
A presença do ex-mandatário da nação servirá para reforçar a pré-candidatura do deputado federal Capitão Alberto Neto (PL) à Prefeitura de Manaus e, também, dos postulantes a cadeiras na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Título de cidadã
Na ocasião, a ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro, receberá o Título de Cidadã do Amazonas outorgado pela Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), a pedido da deputada Débora Menezes (PL).

Motociata
Há a expectativa, também, que Bolsonaro comande a tradicional motociata pelas ruas da capital amazonense.

Resposta
Ainda falando em PL, o presidente estadual da legenda, Alfredo Nascimento, convocou uma coletiva de imprensa para responder as acusações de Coronel Menezes de que foi o responsável por sabotar a união da direita.

Eu, não
Nascimento se esquivou de qualquer decisão sobre a escolha de Alberto Neto e a não manutenção da chapa puro sangue com Menezes, e disse que a determinação veio de Jair Bolsonaro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *