quinta-feira, julho 25, 2024
Sem mimimi

Pensando na reeleição, Plínio Valério sinaliza à direita e ao PL

Eleito em 2018 na “onda do novo” que tomou conta do Brasil, Plínio Valério (PSDB) sabe que o pleito de 2026, quando tentará a reeleição, se dará em um ambiente eleitoral diferente.

Daqui a dois anos, Lula (PT) seguirá no poder e fará o que for preciso para eleger seus aliados, e Bolsonaro (PL), ao que tudo indica, se manterá inelegível.

Uma coisa, no entanto, não deve mudar: a força da direita e do bolsonarismo, sobretudo nas capitais.

E é exatamente nisso que o parlamentar está de olho.

Inclinação

Mesmo sendo da social-democracia do PSDB e tendo um passado em siglas de esquerda como o PV, Plínio Valério tem se mostrado um político alinhado com as pautas da direita e um ferrenho crítico de Lula (PT), conquistando desta forma o respeito de lideranças deste espectro político em nível nacional.

Estratégia

Ciente de que Manaus tem mais da metade do eleitorado do Amazonas e é uma cidade majoritariamente direitista, o senador tem ido além de flertar com a direita e passou a fazer acenos ao bolsonarismo e por consequência ao Partido Liberal.

Prova dos 9

Uma prova desse alinhamento foi dada nesta semana. Plínio se escalou e fará parte de uma comitiva de 17 senadores que visitará o ex-diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Silvinei Vasques, na prisão onde ele está preso desde 2023.

Cúpula

Plínio estará junto da cúpula da direita para prestar solidariedade ao militar, que está preso por suposta interferência nas eleições de 2022. Além do amazonense, fazem parte da comitiva Sergio Moro (União Brasil -PR), Damares Alves (Republicanos-DF), Eduardo Girão (Novo-CE), Ciro Nogueira (PP-PI) e Hamilton Mourão (Republicanos-RS).

Cassino, não

Na semana passada, o parlamentar amazonense também ficou ao lado dos expoentes da direita bolsonarista ao votar contra ao projeto de lei que autoriza o funcionamento de cassinos e bingos no Brasil.

Flertando

Como a SEM MIMIMI informou em julho do ano passado, Plínio Valério, por mais que negue, tem tudo para trocar o PSDB pelo PL. A mudança, inclusive, já teria tido o aval de Valdemar Costa Neto, mandachuva da legenda de Bolsonaro.

Opção

A ideia é ser uma das alternativas do eleitorado de direita, sobretudo da ala bolsonarista, já que pleito que elegerá dois senadores.

Articulações

Falando em articulações eleitorais, fontes da coluna afirmam que os pré-candidatos à Prefeitura de Manaus Capitão Alberto Neto (PL) e Roberto Cidade (União Brasil) tiveram uma conversa no final de semana.

União

Na pauta, obviamente, esteve a possibilidade de união das candidaturas. No entanto, ambos despistam quando abordados sobre o tema e seguem fazendo mistério.

Encontro

Sobre esse assunto, inclusive, o site Real Time 1 diz que Alberto Neto terá um encontro com o governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil), nesta terça-feira (25).

Entreposto

Por falar em Wilson, o mandatário do estado formalizou nessa segunda-feira (24), a instalação de um entreposto da Zona Franca de Manaus (ZFM) em São Borja, no Rio Grande do Sul (RS), para armazenagem e escoamento de mercadorias oriundas das empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Logística

O investimento tem o intuito de fomentar e valorizar os potenciais logísticos e de negócios da ZFM, sobretudo com países do Mercosul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *